Turbulência emocional na gravidez


 Foto: Lisa Boggs

Olá meninas!

Esse post é pra compartilhar o turbilhão de emoções que uma gravidez pode trazer pra sua vida. Quem ainda não tem filhos e planeja um dia ter deve achar meio incoerente, mas acredite, mesmo que você queira ser mamãe com todas as suas forças, pode ser que você passe por momentos meio complicados na gravidez. E eu não resolvi abordar este assunto pra te desanimar, muito pelo contrário! Filhos são bênção de Deus e trazer a maternidade ou paternidade pra sua vida vai enriquecer sua existência. A ideia é justamente te dizer que sim, esses momentos de turbulência podem acontecer, e você não será a única a passar por isso.

Eu engravidei enquanto estava estudando, bem no finalzinho do segundo semestre de um College lá em Toronto, no Canadá. Eu estava longe da família, e isso foi bem complicado pra mim. Ainda mais porque estava em plena época de trabalhos finais, apresentações e provas pra fechar o semestre.

Até aí, ok! Gravidez não é doença. O problema, no meu caso, é que sou uma pessoa que passa por poucas e boas na gravidez (nesta segunda gestação então, nem se fale). Eu sou daquelas que chora por besteira (tipo TPM ao cubo), tenho enjoos descontrolados e diários do momento em que acordo até ir dormir (a ponto de qualquer perfume e cheiro doce me fazer querer sair correndo), humor ótimo num dia e péssimo em outros. Enfim…eu viro outra pessoa.

E aí, só sei que pensar nos estudos e no estágio viraram assunto pra segundo plano. Tudo o que eu queria era ser cuidada por alguém e me livrar desses hormônios do mal. Não pensei duas vezes. Mentira…pensei umas mil e decidi pegar o avião e voltar pro Brasil pra passar minha gravidez por aqui. Muita gente disse que eu devia ter o bebê lá, mas decisões são decisões e eu sabia o que precisava fazer. Falar, vão falar, mas aprendi que temos que analisar por uma perspectiva interna, porque quem vai escolher o melhor pra você, será você mesma.

O fato é que coloquei meus estudos em stand by, porque logicamente não desisti deles. Mas resolvi que focar neste período da gestação e no bebê eram prioridades. O gélido clima canadense podia esperar.

Também passei por momentos de incertezas absurdos ao longo da gestação. Se eu tinha determinado foco antes, desfocou. Se eu queria alcançar determinados objetivos, tudo meio que virou de cabeça pra baixo e eu já não sabia mais se queria aquilo ou não. Loucura né? Tava quase procurando um terapeuta, mas percebi que toda essa confusão estava ligada com os hormônios doidos e que isso passaria.

E passou. Claro que ainda tem situações nas quais eu estou refletindo se realmente devo manter o plano A ou partir pro B, mas na grande maioria das dúvidas que apareceram eu percebi que muitas foram embora. Talvez este momento seja bom pra refletir na sua vida, nos seus projetos, e por mais que você pense em desistir deles, não desista porque é fase. Coloca seus planos em stand by, deixa guardadinho, porque depois que o baby vier sua vida aos poucos vai se ajustando à nova realidade, ou até mesmo no finzinho da gravidez suas ideias voltem a clarear.

Qual a fórmula mágica pra todas as possíveis questões, dúvida e anseios que possam estar te rodeando agora? Não existe! Queria muito poder te receitar um chá de camomila mágico que ajudasse a clarear as ideias, mas não existe (até onde eu sei né). O que posso te aconselhar é: reflita bem, pense, faça planos e espere porque tudo vai passar e muita coisa vai fazer ainda mais sentido pra você ao final de tudo isso.